Transtorno Depressivo

 

     A depressão é uma condição muito frequente. Qualquer pessoa, em qualquer momento, pode sentir-se “prostrada”, infeliz, ou triste (com um humor deprimido). Este é geralmente um transtorno temporário que aparece e desaparece sem qualquer motivo específico. 



    Em alguns indivíduos, a doença pode ser tão grave que ela pode dominar suas vidas. Esta modalidade de doença depressiva necessita tratamento.

O medo é frenquentemente um componente da depressão, ele pode se manifestar como sentimentos de inutilidade, culpa e pensamentos de morte.

     Vários acontecimentos da vida se relacionam com episódios de depressão, tais como, o óbito de alguma pessoa próxima, uma doença, a perda de emprego, o alcoolismo ou o isolamento de familiares e amigos.
Alguns indivíduos apresentam um maior risco. Foi demonstrado que as mulheres são vulneráveis quando perderam a mãe durante a infância, apresentam três ou mais crianças em casa, perdem a confiança na inter-relação, ou quando não possuem ocupação profissional.
Acredita-se que a depressão se origine de desequilíbrio de substâncias químicas no cérebro (neurotransmissores). Quantidades pequenas ou muito aumentadas dos transmissores químicos nas terminações nervosas (sinapses) podem alterar as características do pensamento, originando os sintomas da depressão.



Sintomas:

 

Alguns indivíduos apresentam uma tendência para a depressão sem uma causa evidente. Os sintomas podem variar de um paciente para outro, e no indivíduo em diferentes períodos da vida.
Não existe uma diferença objetiva entre depressão leve e grave.

Os sintomas podem incluir:

• um humor deprimido (sensação de tristeza ou vazio) na maior parte do tempo.
• Perda de interesse ou satisfação na maioria das atividades
• dificuldade para dormir ou sono excessivo
• perda de peso ou ganho ponderal no período de um mês
• falta de concentração
• sensação de medo, culpa ou inutilidade
• obsessões com morte ou suicídio, porém sem planejamento para executar o ato
• agitação mental ou física
• constipação
• fadiga ou perda de energia
• perda de apetite
• cefaleias recidivantes
• baixa estimulação sexual

• dificuldade na tomada de decisões

 

Depressão e Mania



     Alguns indivíduos podem apresentar períodos de depressão, seguidos por períodos de mania. Esta situação é conhecida como transtorno bipolar (depressão com mania). As características da mania são exatamente contrárias à depressão. Os indivíduos com mania podem adotar um comportamento imprudente com pouca consideração sobre as consequências. Eles são altamente energéticos, necessitam de pouco sono, apresenta um grande apetite, mas não tem tempo para alimentar-se e consequentemente, perdem peso. A fala destes indivíduos pode ser rápida e eles podem passar de um assunto ao outro rapidamente.

 
Depressão e Pânico

     

A crise de pânico (transtorno de pânico) pode também ocorrer na doença depressiva. O pânico é constituído por episódios recidivantes de ansiedade intensa, com palpitações, dor precordial e falta de ar (às vezes confundidos com um ataque cardíaco). Os pacientes possuem uma sensação de medo intenso.



Tristeza

 

     É muito frequente sentir-se deprimido após um evento desconfortante. Normalmente nós “fazemos um esforço” e voltamos ao normal. Quando estes eventos criam uma tristeza mais intensa  ou persistente, pode se tratar de depressão.
Quando um indivíduo apresenta cinco ou mais sintomas, um dos quais é o humor deprimido, ou a perda de interesse (ou da satisfação) na maioria das atividades, por exemplo.

 

Tratamentos

 

 

O  tratamento envolve normalmente uma associação de psicoterapia e terapia farmacalógica. A psicoterapia deve ser realizada  com profissional especializado ,que tenha conhecimento da doença, pois poderá ser feita individualmente e/ou em grupos de apoio.

 

Outras modalidades de tratamento

 

A Hipnose é uma técnica interessante que atua rapidamente no controle da ansiedade que desencadeia a crise do Pânico, outros tratamentos alternativos como Reiki, Floral, Aromaterapia podem ser usados em conjunto para potencializar o tratamento em processo.

 

         A orientação da família e dos amigos sobre a doença irá auxiliar no atendimento dos problemas comportamentais em uma forma mais acolhedora. O relaxamento, a meditação, o exercício físico, o sono regular e uma dieta balanceada são fatores importantes na manutenção da conduta estabelecida.
A elaboração de um diário pode auxiliar o indivíduo na identificação de situações estressantes, que contribuem para desencadear reações compulsivas, possibilitando aos pacientes um direcionamento para atividades mais construtivas.

 

 

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

-  Disponível em: http://www.diseases-explained.com
Acessado  em 08/02/2012.

 

Depressão

O que é depressão?

Qual a causa da depressão

Reconhecendo seus sintomas

Tratamento